Loading

Cartão de crédito: mantenha esse amigo sob controle

Esse é um guest post enviado pela nossa parceira SEOmaster. Aproveitem a leitura meninas!

Quando se fala de controle financeiro, um pesadelo faz com que muitas mulheres acordem com olheiras no dia seguinte: o cartão de crédito. Esse grande amigo de nós mulheres pode se tornar um inimigo fatal das finanças se não for usado de maneira racional.

Então vamos parar um pouco para entender como esse pequeno cartãozinho que nos traz tanta felicidade, pode fazer a diferença entre ter uma vida tranquila ou muito tensa.

O que é e como funciona o cartão?
Você sabe que ao entregar ele à vendedora vai levar para casa aquele lindo sapato. Mas você sabe realmente como todo esse processo acontece? O cartão é um sistema de pagamento eletrônico que funciona em parceria com uma instituição financeira. Quando você vai à sua loja preferida e usa seu cartão você está se comprometendo a pagar aquele valor à instituição financeira. Esse valor vem, como todas nós sabemos, na fatura.

Usando de forma inteligente
Uma coisa que a gente não deve esquecer é que um dia a conta chega. Parece brincadeira, mas muita gente demora a se dar conta que aquela noitada, a entrada do teatro, a viagem, tudo será cobrado e, geralmente, ao mesmo tempo. Então, o primeiro passo é descobrir qual é seu limite. Veja bem que não estamos falando do limite do cartão, mas seu limite pessoal.

Você precisa saber quanto é sua renda e quanto dela está comprometida por mês com outras despesas.  Se ao fazer esse cálculo sobrou, por exemplo, R$ 800, você ainda terá que descontar um bom valor para colocar na poupança, pelo menos 30%. Com isso, seu limite pessoal no cartão é R$ 560. Se sua próxima fatura vier mais do que isso, os problemas começaram.

Então, a dica é: descubra seu limite. Ao chegar perto dele, comece a deixar o cartão em casa e só use em caso de emergência.

Resolvendo dívidas
Mas nesse momento as dívidas já existem. Você já estourou seu limite e o limite do cartão. Como fazer?
Primeiro, pague a fatura em dia ou você além de tudo vai ter de pagar multa, juros e ver seu dinheiro sendo desperdiçado. Os juros de cartão são altíssimos. São 10% ao mês, em média, mas lembre-se que eles se acumulam e se somam a outros encargos Além disso, obviamente, quanto maior o valor da fatura, mais pesada a coisa toda vai ficando. E se você tiver a péssima ideia de pagar o valor mínimo, sua dívida vai virar uma bola de neve.
Mas se pagar o valor mínimo não é razoável, como fazer quando você se dá conta que gastou muito mais do que consegue arcar? Nada de desespero. Há solução para tudo. Você precisa ter em mente que a instituição financeira deseja receber, então, alguma facilidade ela vai dar.

Passo-a-passo
1 – Ligue para a instituição e peça para negociar. Ela lhe dará a opção de parcelar apenas aquela fatura ou a dívida toda. Em geral, essa segunda opção é a melhor, mas faça os cálculos antes. Escolha uma parcela que caiba no seu bolso, mas esteja atento se sua dívida não dobrou. Aí não vale a pena.
2 – Ao negociar, seu cartão ficará bloqueado. Isso é bom porque não virão novas dívidas. Você precisará reaprender a usar dinheiro apenas. É mais difícil do que se imagina, mas não é impossível.
3 – Você não deve nunca comprometer um valor de sua renda maior do que poderá arcar. Isso porque se você não pagar ou atrasar o valor da negociação, seus problemas ficarão realmente grandes.
4 –Nesse meio tempo aprenda a usar o cartão. Ele será liberado quando a divida for toda quitada e, se você não aprender, vai cair nessa armadilha de novo.

X