Loading

Casou? O que fazer com as finanças?

Cuidando das finanças no casamento
A união de duas pessoas envolve vários desafios, o casamento é um momento de muitas experiências e descobertas. Se já era difícil você controlar as suas finanças quando estava solteira, agora a coisa pode ficar um pouco mais complicada. São duas pessoas com culturas, vontades, experiências completamente diferentes, especialmente quando o assunto é dinheiro. Mas fique tranquila, pode ser difícil, mas não impossível! Vale a pena a dedicação, tudo por uma vida tranquila e segura a dois. 
Se um dos dois já tem habilidade em cuidar das finanças isso já é um grande passo, mas não é o suficiente. O orçamento familiar deve ser responsabilidade do casal.
Neste post vamos desconsiderar os gastos com a festa e todos os outros detalhes que partimos do princípio que já estejam pagos.
Vamos falar especificamente sobre como enfrentar essa nova fase evitando alguns erros básicos que podem evitar grandes tragédias financeiras.
Problemas financeiros podem destruir um casamento. Nada pior do que o casal estar endividado ou desestruturado financeiramente. O melhor remédio é se organizar.
Há muitas coisas a serem definidas entre o casal, surgem dúvidas em relação a divisão das contas da casa, se terão conta conjunta ou separada. Porém, não existe uma regra, a melhor solução é o acordo.
O casal precisa conversar sobre o assunto e entrar num acordo levando em consideração qual a melhor saída para manter a vida financeira saudável e a vida a dois mais ainda.
Seguem algumas dicas para você ficar ligada no orçamento familiar:
É normal no casamento cada um ter um hobby, um sonho ou costume que o outro não se interessa tanto. O importante nesse ponto é encontrar o equilíbrio, não se deve abrir mão do que se gosta de fazer porque o outro não compartilha da mesma vontade, mas o casamento deve ser preservado e tudo agora deve ser usufruído com moderação. Entrem num acordo para que cada um possa realizar seu sonho sem criar problemas no relacionamento, se o que você quer fazer vai comprometer o orçamento familiar, é melhor repensar e encontrar uma alternativa. Com diálogo e planejamento tudo pode ser alcançado. Vejam o que cada um quer para si e o que querem para a família e assim trabalhem para adequar a renda do casal para realizarem esses objetivos.
Dica: Façam um planejamento anual com as atividades que os dois gostariam de fazer, organizem as finanças e sigam esse planejamento durante o ano. 
No meu relacionamento tudo é dividido na metade, decidimos juntos o que é preciso comprar e depois cada um paga 50% do valor. E está funcionando bem assim. Apesar de termos rendas com valores diferentes, escolhemos manter a igualdade nas despesas. Mas para casais que possuem uma grande diferença nos salários, pode-se adotar a estratégia de pagar porcentagens proporcionais ao que recebe, quem ganha mais paga mais e assim podem definir quais contas podem ficar na responsabilidade do que ganha menos e as que ficarão com quem ganha mais. 
 No caso de casais que só um trabalha, não temos muito o que definir… Só um poderá arcar com as despesas, mesmo assim, é obrigação do outro estar ciente do orçamento familiar. Depois do casamento, tudo deve ser compartilhado, se ficou definido que só um arcaria com as contas do lar, tudo bem, mas os dois precisam tomar as decisões financeiras juntos. Agora vocês são uma família.
Procurem evitar que as diferenças de salários atrapalhem o dia a dia, mantenham uma rotina acessível aos dois.
As rendas devem ser somadas e juntos vocês precisam definir alguns pontos: Quanto vamos poupar? Quanto vai para os gastos do lar? Quanto cada um vai ter para os gastos individuais?
A poupança deve ser obrigação do casal e a individualidade deve ser preservada.
É importante tomar cuidado com alguns gastos desnecessários, como compras no supermercado, gastos com energia elétrica, etc. Esses são alguns pontos onde vocês podem até mesmo economizar, nada de esbanjar sem necessidade.
Se o casal ainda vive de aluguel, é outro assunto importante para ser debatido, todos nós temos o sonho da casa própria, mas se essa aquisição não for feita de forma planejada e pensada pode se tornar um grande peso na vida do casal. Isso é assunto para um outro post, porém uma dica importante para você pensar antes de tomar a decisão é saber se a compra da casa própria vai comprometer muito a renda do casal ou se ela vai se encaixar tranquilamente na vida de vocês. Um exemplo: Vocês pagam R$ 1.200,00 de aluguel, ao comprar um imóvel, a prestação vai para R$ 1.600,00, apesar de estarem pagando por algo que será de vocês, a pergunta é a seguinte, o orçamento de vocês está preparado e estruturado para esse aumento repentino nas despesas, no caso R$ 400,00 a mais? Conversem direitinho para realizarem esse sonho da melhor forma possível, às vezes vale mais a pena adiar um pouquinho e fazer de forma responsável e tranquila do que comprometer inclusive a relação do casal.
Procurem alternativas de investimentos para multiplicar as economias de vocês, o ideal e que os dois se interessem pelo assunto e corram atrás de conhecimento para colocar em prática, hoje em dia existe muito material na internet e alguns cursos gratuitos, tudo bem acessível para quem quer aprender a investir.
Para ajudar nessa bela caminhada, deixo a dica do livro do Gustavo Cerbasi “Casais Inteligentes enriquecem junto”. É uma leitura muito gostosa e com dicas valiosíssimas. 
Chame seu parceiro para abraçar essa causa, vivam felizes e ricos! 
Beijinhos gatíssimas, nos vemos no próximo post, em breve!
X