Loading

Como economizar com viagens? Final

Já passamos aqui com as 6 primeiras dicas para economizar em suas viagens. Hoje traremos outras 6, igualmente importantes.

1. Se possível, procure voar no meio da semana. Por exemplo, passagens ida e volta de São Paulo para Frankfurt, pela Tam, saindo 08/10 (terça-feira) e retornando 24/10 (quinta-feira) custam R$3115,40, incluindo taxas. A mesma viagem, pela mesma companhia, custa R$4283,51, alterando as datas de partida para 04/10 (sexta-feira) e retorno para 19/10 (sábado).

Women playing with airplane and globe

2. Pesquise com antecedência. Para passagens aéreas, o ideal é comprá-las de seis a quatro meses antes da viagem. Isso porque a procura ainda não é tão alta e os preços estão mais baixos. Por exemplo, em pesquisa feita em 11/07/2013, uma compra de passagens ida e volta entre São Paulo e Frankfurt pela TAM, para o período de 11/09 a 18/09, incluindo as taxas, custaria R$3946,11, enquanto a mesma viagem, mas para o período de 13/11 a 20/11, R$2904,32. Ou seja, a antecipação na compra resultou em uma economia de mais de R$1.000,00.

Young Brazilian woman relaxing in a swimming pool with sea view in Arraial d'Ajuda, Bahia, Brazil

3. Acumule gastos (e consequentemente milhas) em 1 único cartão de crédito. Milhas, milhas, milhas. Se você quer economizar em suas viagens, precisa começar a ter um relacionamento sério com suas milhas. Faça renderem da melhor forma possível. Pode ser tanto em passagens aéreas ou em hotéis (o meu cartão de crédito, por exemplo, oferece parceria com a rede Accor). Se estiver muito difícil resgatar a parte aérea com suas milhas, tente utilizá-las para a compra de hotéis ou aluguel de carros, por exemplo. Pesquise em seu banco qual cartão oferece mais milhas por US$ gasto. Dependendo dos seus gastos mensais, o banco poderá lhe oferecer mais milhas por US$ (por exemplo, 1,5 milhas por US$ ao invés de 1).

Young woman holding credit card and using laptop

4. Pesquise as tarifas mais baratas. O TripAdvisor é site muito útil, que oferece a comparação das tarifas praticadas por sites como o booking.com, o decolar.com e o venire.com, por exemplo. As diferenças não costumam ser gigantecas na maioria dos casos, mas já é possível fazer uma boa economia nas diárias em hotéis. Se você preferir se hospedar em um hotel 4 ou 5 estrelas, sua economia será bem maior. Por exemplo, o custo do hotel AKA NYC – Central Park (um hotel ótimo, 5 estrelas, localizado no Upper East Side em Nova Iorque) para 7 noites, no período de 08/09 a 15/09 variou de R$6.276,55 no Booking.com a R$9.177 no Decolar.com. A economia foi de quase R$3.000,00!

5. Não ative o roaming do seu celular. Opte por utilizar o Skype usando o wi-fi dos hotéis por onde for passando. Acredite, o desespero que você sentirá quando chegar a conta do celular é bem maior do que a vontade de ligar pra dar um oi. Se o hotel não tiver wi-fi disponível (o que é praticamente impossível nos dias de hoje) ou então se for muito caro (conheço hotéis que cobram 35 euros por dia de uso, juro), procure por um “internet café”, onde você pagará por hora para acessar a internet, ou um café com internet, em que irá desfrutar do wi-fi apenas por estar consumindo naquele local. A rede Starbucks costuma oferecer este tipo de serviço.

Businesswoman using smartphone in street

6. Nunca se esqueça de pedir o Tax Free Refund em suas compras. Pesquise se o local para onde você vai viajar oferece Tax Free Refund aos turistas que fazem compras por lá. O Tax Free Refund é um reembolso dado aos turistas de acordo com os impostos cobrados pelo país. Como os turistas não são residentes, nada mais justo do que não pagar por esses impostos, certo? Sim! Os reembolsos podem chegar a 16% do valor total da compra, dependendo do tipo de produto e do local da compra. As 3 principais companhias que reembolsam os clientes são: Global Blue, Tax Free Worldwide e Premier Tax Free. Os reembolsos podem ser feitos em espécie (para depois serem usados naquela comprinha básica no free shop) ou então no seu cartão de crédito. Às vezes podem ocorrer na própria loja (o que normalmente é oferecido em grandes centros de compras, como a Harrold’s, em Londres, ou as Galeries Lafayette em Paris) ou no próprio aeroporto.