Loading

Dívidas no casamento: resolva já!

Dívidas no casamento: resolva já!

Olá meninas,
Como passaram a semana? Já leram o post da semana passada? A Lívia escreveu um post incrível sobre dívidas no seu negócio, para as empreendedoras, a leitura é indispensável e para você que está projetando seu negócio, sem dúvida vale a pena ficar antenada.

Também não deixe de ler o primeiro post de Julho que escrevi com ótimas dicas para te ajudar a acabar com as dívidas.

O post de hoje é dedicado a mulher esposa, noiva, namorada, que juntou as escovas… que divide um lar, compartilha as contas e administra um orçamento doméstico com grandes dificuldades.

Quero falar pra vocês que sei que não é nada fácil. Alguns relacionamentos são fantásticos, o casal se dá bem, são companheiros, mantém os mesmos objetivos e sonhos, desejam as mesmas coisas, têm os mesmo valores… a coisa mais linda de se ver. Isso tudo até se tocar no assunto finanças! Buuummm! Uma bomba estoura e o casal mais parece inimigo do que íntimos amantes.

dívidas no casamento

Pois é, o dinheiro tem uma grande influência no relacionamento e ele é um grande ponto de alerta. Precisa estar alinhado.

As vezes deixamos de lado para não criarmos atrito com nosso parceiro mas no futuro se tornará um enorme problema, mais difícil ainda de resolver.
E a vida vai te cobrar uma posição, em vários momentos.
Vamos conversar sobre isso?

Um casamento saudável e próspero é o segredo para se viver feliz para sempre!

Como algumas de vocês sabem, eu já fui casada e foi uma tremenda escola pra mim, especialmente na área financeira. Fomos um belo exemplo de um casal totalmente incompatível quando o assunto era dinheiro. Posso dizer que os problemas que tínhamos com tamanha divergência em relação a finanças, foram um dos grandes responsáveis por nossas brigas e instabilidades no relacionamento. Não foi o único causador do divórcio, mas um grande responsável.

Quando resolvemos morar juntos, eu tinha minha poupança que comento aqui no blog e ele alguns tantos reais de dívidas. Eu resolvi cobrir algumas dívidas dele com parte da minha poupança e fomos com o tempo acabando com elas juntos. Desde dessa época ele demonstrava grande dificuldades em lidar com dinheiro, era bastante consumista e não costumava pagar suas contas e isso tinha virado uma bola de neve.

Já era um sinal de alerta, mas quando estamos apostando num relacionamento, não queremos pensar que isso poderá ser um grande problema depois. Porém, DEVEMOS dar a atenção necessária, para que possa ser resolvido antes que se torne um grande tormento. Ele era um super parceiro quando o assunto era tentar novas formas de ganhar dinheiro, de investir etc. Não posso negar que ele levava jeito para ganhar dinheiro, mas com essa mesma facilidade ele conseguia gastar, muito.

Conseguimos fazer com que ele quitasse todas suas dívidas e começamos a vida juntos. Mas quando nossa situação financeira foi melhorando ele voltou a gastar muito, muito, muito. De forma inconsciente, isso era nítido. Para vocês terem ideia, tínhamos patins, bicicletas, uma moto e um carro financiado, mas não tínhamos todos os móveis dentro de casa, não tínhamos nem sofá! Absurdo não é mesmo?

Eu já tinha conhecimento de muitas coisas relacionadas a finanças pessoais, mas não via maneira de controlar isso e aplicar na nossa vida. Apesar de eu ser a responsável por pagar as contas de casa ele é quem tinha o maior salário, bem maior que o meu rsrsr. Além disso ele era uma pessoa muito persuasiva, por mais que eu ficasse quase um ano falando e argumentando que não tinha cabimento termos um carro naquele momento, ele sempre insistia, eu acabava sedento por não aguentar mais ser a pessoa que queria “podar os sonhos” dele.

dívidas no casamento

Enfim, compramos nosso carro, no valor aproximado de R$ 22.000,00, com entrada no valor de R$ 4.000,00 (emprestados do meu pai que pagamos em 4 x de R$ 1.000 :O) e financiamos em 6 anos!!!!!!!!!! Por favor, me respondam, isso é normal? Kkkk

Claro que não, nos endividamos DEMAIS!!!! Eu perdia noites de sono tentando encontrar saída, não teríamos dinheiro para bancar as contas básicas do próximo mês! Eu ia surtar!

Acabei apelando para um empréstimo no banco, que no desespero total (precisava do dinheiro para o dia seguinte) eu aceitei qualquer proposta que a gerente me ofereceu! Juros nas alturas!

Nosso casamento não durou muitos meses depois desses episódios, o que tinha me restado: Fim de um casamento, cheia de dívidas no meu nome (carro, ainda quase todo a ser pago, o empréstimo com juros absurdos e usando o cheque especial) e sem nenhum patrimônio.

dívidas no casamento

Minha história foi bem trágica, eu sabia o que precisava ser feito mas não conseguia fazer sozinha!

Nossos momentos de descontração acabavam quase não existindo, não tínhamos dinheiro para nos divertir, só trabalhando e nos estressando com as dívidas que estavam cada vez maiores, as pequenas tentativas de nos divertirmos, comprando com muito custo uma viagem no Grupon, acabava se tornando um pesadelo.

Dificuldades financeiras são escolhas pessoais: vocês decidem tê-las quando ignoram a importância do planejamento financeiro.
“Gustavo Cerbasi”

Estou aqui para ajudá-la a não deixar seu casamento acabar por causa da dificuldade em lidar com as finanças.

É preciso declarar guerra às dívidas. Vocês devem fazer todos os esforços para pagar as dívidas no menor prazo possível. Pagar aos poucos não adianta, pois isso é como cavar um buraco na areia da praia. A gente cava e cava, então vem o mar e enche o buraco de água e areia novamente. Se não quitarem as dívidas de uma vez, em poucos meses os juros vão repor o que vocês pagaram.
“Gustavo Cerbasi”

O casal precisa estar em sintonia, andarem juntos, precisam saber quais os objetivos um do outro, sonharem e planejarem a vida financeira. Incompatibilidade financeira é um grande problema a ser enfrentado. Por isso trouxe algumas dicas para que você tome uma providência HOJE!

  • Não se sinta mal por tentar introduzir o assunto finanças no seu casamento.
    Comece aos poucos, enfrente a resistência, seja paciente e não desista.
  • Criem um estilo de vida para vocês que se encaixe no orçamento.
    Não adianta querer viver acima dos padrões possíveis no momento.
  • Criem um colchão de segurança
    Se vocês não tem grandes dividas ou depois de liquidá-las criem uma poupança de emergência, que equivalha no mínimo há 6 meses dos seus gastos mensais.
  • Ganhar menos que seu parceiro não te tira o direito de participar das decisões financeiras
    Quando você decide dividir a vida com alguém, isso inclui as finanças também. As decisões precisam ser compartilhadas e definidas em conjunto.
  • Quando o orçamento da família aumentar aproveite para fazer os ajustes necessários, quitar dívidas, equilibrar o orçamento, economizar e começar a investir.
    Em hipótese alguma aumente o padrão de vida de acordo com o aumento na renda. O sufoco continuará. Renda maior não deve ser sinônimo de gastos maiores.
  • Façam economias domésticas.
    Economizem principalmente nas compras do mercado, em eletricidade, água, gás.
  • Contem com a reserva da renovação.
    Com o tempo, tudo na vida vai envelhecendo e perdendo o brilho da novidade. Mantenha uma poupança para poder renovar o enxoval depois de pelo menos 8 anos de casados. Deixar as coisas ficarem estragadas, sem renovação por dificuldades financeiras acaba com o romantismo de qualquer casamento. A vida precisa ser renovada constantemente, seu casamento também.dívidas no casamento

Algumas leitoras me perguntam se devem juntar tudo, contas, investimentos etc… gosto dessa outra frase do Gustavo Cerbasi:

Planos comuns jamais serão construídos de modo eficiente se tudo no relacionamento for dividido. Perde-se em eficiência, em organização e em resultados!

Quando vocês trabalham juntos em prol dos mesmos objetivos tudo fica muito mais fácil e gostoso.
Consegue-se negociar melhores taxas nos bancos quando você gira um valor mensal maior, os fundos de investimentos mais rentáveis só são acessíveis aos clientes que têm maiores quantias para aplicar.

Mas sou a favor de você manter uma conta corrente e cartão de crédito no seu nome. Isso é importante não apenas para estabelecer crédito em seu nome, mas permite que você tenha algum dinheiro para despesas pessoais e para investimentos que seu parceiro não queira fazer.

Por fim, para que vocês sejam felizes para sempre, é preciso:
• Construirem sonhos e planos comuns.
• Elaborarem e respeitarem um orçamento familiar.
• Serem disciplinados em relação aos investimentos familiares.
• Manterem as contas em dia.
• Celebrarem a conquista de metas financeiras.

Boa sorte meninas!
Até logo

X