Loading

Elas poupadoras – Perfil da Juliane

Conheça hoje o perfil da poupadora Juliane (a menina dos vários negócios), participante do desafio do porquinho e adepta ao consumo consciente para construir uma vida mais rica.

Nome completo: Juliane Fernandes de Sá

Cidade que mora: Guarulhos – SP

Idade: 30 anos

Descreva sua trajetória profissional

Eu sou formada em Design de Moda e Técnico Têxtil. Trabalhei na indústria têxtil por alguns anos até ficar desempregada.

Desde sempre busquei desenvolver alguma atividade fora do meu trabalho, algo que pudesse me trazer uma independência financeira. Comecei essa trajetória com calçados femininos. Meu esposo, que na época ainda era meu noivo, conheceu a cidade de Jaú no interior de São Paulo e me trouxe uma linda sapatilha com estampa inspirada no Romero Brito. Adorei assim que bati os olhos!

Aqui em São Paulo não tinha nada parecido na época e então eu tive a ideia de trazer 10 pares de tamanhos variados e vender para meu círculo de amizade. Foi um sucesso! Vendi em pouquíssimo tempo!

E então criei uma fanpage no Facebook , mandei fazer cartões de visita e comecei a divulgar tudo que eu trazia de lá. Até que vendia bem mas a falta de tempo para me dedicar, fazia falta. Ainda fiz parceria com minha cunhada, que também buscava uma forma de investir dinheiro mas mesmo assim não durou muito. Acredito muito na falta de conhecimento de ambas as partes e também na falta de tempo.

Em outro momento eu tentei entrar para o ramo de lembrancinhas para nascimentos e aniversários. Cheguei a fazer lembrancinhas para um aniversário de 15 anos e um aniversário de 1 ano, mas não vingou. Os trabalhos ficaram muito bonitos porém eu não sabia muito bem como produzir personalizados com preços competitivos pois a gráfica cobrava muito caro e não compensava. Acabei deixando este projeto também de lado. Devido ao desemprego, comecei a fazer brownies em casa e vender no serviço da minha irmã. Aprendi a receita no programa da Ana Maria e era um sucesso o brownie do Luis no Rio de Janeiro, e aqui não foi diferente.

Eu tinha encomendas toda semana e levava para minha irmã fazer as entregas. Retornava um dinheiro legal e eu conseguir ir guardando, pois faltavam pouco mais de 1 ano e meio para meu casamento. Parei de vender simplesmente porque minha irmã saiu do emprego e eu não tinha clientes fora de lá. Eu não conseguia divulgar fora daquele círculo. Fiz duas encomendas para chá de bebê e depois parei de vez.

Meu casamento tava chegando e eu precisava arrumar dinheiro para terminar de pagar alguns custos, embora nós tivéssemos desistido de fazer qualquer tipo de recepção, pois a grana estava realmente muito curta e ainda havia o apartamento para reformar e mobiliar. Foi aí que fiz a venda de um buquê de broches que eu havia confeccionado há algum tempo pra mim, mas como eu precisava de dinheiro, anunciei na OLX e vendi.

Através deste buquê eu ainda vendi um porta alianças para casamento e uma cestinha para a florista deste mesmo casamento. Ficou lindo e a noivinha ficou muito feliz com o resultado! Também não consegui desenvolver mais esta atividade. Faltava em torno de 6 meses pro meu casamento e a situação cada vez mais complicada. Então aceitei uma proposta para trabalhar com listas para o mercado de móveis planejados. Fiz a venda de várias listas e consegui levantar um dinheiro legal, mas chegou um momento que as listas que eu tinha já não eram tão interessantes para quem procurava e eu não tinha condição de investir em listas novas e manter o negócio.

Nesse momento me casei e logo após a lua de mel, voltei a procurar emprego incessantemente pela internet e nas agências de emprego. Por volta de 8 meses depois arrumei um trabalho por indicação numa empresa e área que eu nunca havia trabalhado antes. Mas como eu precisava, permaneci o tempo que precisei até me deparar com outra oportunidade de negócio, que aos meus olhos, era impossível dar errado como todas minhas outras alternativas fracassadas. Conheci o MMN.

Até então eu não sabia do que se tratava e como aquelas pessoas ganhavam tanto dinheiro. Me interessei em aprender e comecei a participar de treinamentos e cursos e tudo mais que o sistema oferecesse. Fiz cadastro, comprei produtos, usei produtos e até vendi! Foi então que decidi deixar o emprego e me dedicar ao negócio. Meu grupo era forte e eu me senti segura em me dedicar 100% neste negócio! Aluguei ponto comercial, mobiliei e me instalei. Tentei divulgar de tudo quanto foi jeito na minha região, meus vizinhos, amigos, família…. Facebook, Instagram…. mas o retorno foi muito menor do que eu esperava. Pouquíssimas pessoas iam até minha loja e eu ficava feito doida tentando fidelizar quem eu já havia atendido. Havia muito preconceito com o produto e a região que eu estava tentando trabalhar, de certo modo era de uma população de orçamento familiar baixo e então as prioridades acabavam falando mais alto.

O aluguel foi ficando insustentável e então decidi fechar e devolver o ponto. Me deparei com móveis, utensílios e muitos produtos dentro da minha casa e eu não sabia mais o que fazer. Anunciei os móveis, utensílios e estou em processo de devolução dos produtos. Por mais que eu ainda continue consumindo, são coisas demais e podem estragar dentro das caixas. Mas definitivamente, não quero mais trabalhar com isso. Além de toda a questão do ponto comercial, também me dei conta de como fui levada a imersão disso tudo e me alienei de muita coisa. É um tipo de negócio que não serve para mim.

Em torno de dois meses, conheci na internet o Marketing de afiliados e me interessei demais! A possibilidade de trabalhar em casa era tudo que eu mais queria neste momento! Após tantos fracassos eu ainda acho que minha mente é empreendedora, e que eu apenas não encontrei o negócio certo para investir. Acredito muito que seja esse! Conheci várias pessoas influentes deste mercado e comprei um curso, que com certeza foi o pontapé inicial para que eu ingressasse neste mundo. Criei meu blog e minha fanpage, tenho estudado muito sobre diversos assuntos de empreendedorismo e finanças, foi aí que conheci o Mulher Rica e estou aqui. Ainda estou no início do blog e tenho buscado publicar nele coisas que eu não tinha parado pra pensar antes, quando me aventurei em diversos projetos. Sacadas, dicas, pensamentos…. fazem parte do conteúdo que público diariamente no meu blog, e aos poucos tenho conseguido audiência. Acho que compartilhar minhas experiências e ponto de vista podem ajudar outras pessoas que assim como eu, querem empreender e aprender com cada erro para agregar lá na frente. Acredito firmemente que minhas experiências podem me ajudar a ter sucesso neste novo projeto e me ajude a alcançar a independência financeira.
Blog: www.medesafio.com.br
Fanpage: www.facebook.com/medesafio
Instagram: juliane.sa
e-mail: contato@medesafio.com.br

Quais suas maiores dificuldades em relação a economizar dinheiro
Hoje minha maior dificuldade é não ter uma renda. Estou desempregada e praticamente não tenho de onde tirar para guardar, embora eu não seja uma pessoa consumista, eu tento poupar de todos os lados, mas mesmo assim, não ter renda, atrapalha demais nisso.
O que te motivou a buscar uma mudança?
Como falei anteriormente, eu sempre tive o desejo de empreender e mesmo com todas as dificuldades eu tentava desenvolver algo para conseguir uma grana a ajudar no que fosse necessário. A minha maior motivação para continuar buscando isso tudo é minha família, meu marido. Desde antes do casamento temos passado muitos perrengues e até hoje não tivemos um momento financeiro tranquilo. Por este motivo que eu estou aqui e quero fazer das minhas experiências a fonte de renta que eu tanto busquei nestes anos todos!
X