Loading

Entrevista com Fê Neute – felizcomavida.com

Olá leitoras queridas,

O mês de março é muito especial para todo o público do site Mulher Rica, é o mês da Mulher. Que orgulho não é mesmo?

Tenho muitoooo orgulho de ser mulher e trabalhar para um público tão especial assim.

Fe-neutePara começar as homenagens desse mês, hoje eu trago uma entrevista exclusiva super especial com a Fê Neute. Uma pessoa que recentemente conheci e aprendi a admirar muito. Primeiro por acompanhar seu projeto no site felizcomavida.com que já comentei aqui e conforme tive contato, fiquei encantada com a atenção e carinho que ela tem com as pessoas! Sou super fã! =)

Por isso sinto-me honrada por contar com sua participação aqui no blog do Mulher Rica.

Confiram abaixo, o que rolou na entrevista, o que a Fê tem para contar da sua relação com o dinheiro e como se organizou para alcançar o objetivo de passar um ano viajando pelo mundo, pesquisando sobre felicidade.

Vocês vão AMAAAR!!!

Maiara Xavier Há aproximadamente 6 meses você começou um grande projeto, passar um ano viajando pelo mundo pesquisando sobre a felicidade. Para isso se tornar realidade foi preciso um planejamento financeiro, certo? Como foi que você se planejou para isso?
Fê Neute – Uma decisão com essa sempre envolve planejamento financeiro. Mas, no meu caso, o planejamento aconteceu muito antes de eu tomar essa decisão.

Não é novidade para quem acompanha meu blog que eu cresci em uma família sem grana na periferia de São Paulo. Justamente por isso, eu comecei a trabalhar aos 16 anos e sempre fui responsável por todas as minhas despesas, inclusive a minha faculdade. Nessa época, a minha conta bancária era eternamente negativa. Não tinha dinheiro para sair, viajar ou comprar as roupas que eu tinha vontade. Quando terminei a faculdade, decidi sair do estágio que não estava me fazendo feliz e aceitar um emprego com um salário praticamente simbólico, mas que foi importante para me abrir portas no mercado publicitário. Comprei meu primeiro carro usado só aos 24 anos em 60 vezes sem entrada. E, só no fim de 2007, depois de ser promovida que eu finalmente comecei a ver alguma perspectiva. Decidi usar o meu 13º para começar o ano de 2008 no azul com um plano de previdência. Para conseguir manter meu foco, criei uma planilha detalhando todos os meus gastos, até um simples sorvete que eu tomasse na rua era computado na planilha. Eu que sempre gostei de números, comecei a ficar encantada com os resultados. Eu conseguia mensurar quanto gastava com estacionamento, unhas, depilação, roupas e etc. Durante alguns anos, o meu objetivo nem era guardar dinheiro, mas sim saber o quanto eu tinha livre para gastar e poder comprar tudo o que eu tinha vontade. Com o tempo, essa reeducação financeira começou a permitir que eu fizesse coisas que eram impensáveis para mim como viajar mais de uma vez por ano.

Quando tomei a decisão de viajar, eu já estava tão habituada com o meu controle de gastos que não foi difícil juntar o dinheiro que precisava. Já sabia exatamente onde estavam os meus excessos e o que precisava ser feito para que eu chegasse no meu objetivo.

Maiara Xavier As pessoas que te conhecem agora, com o projeto em andamento, não têm ideia do que rolou até você chegar onde chegou. Qual foi o momento mais difícil para que esse projeto se tornasse realidade?
Fê Neute – Eu sou extremamente planejada e organizada, além de ser movida a metas. Quando eu coloco uma objetivo na cabeça eu mudo a minha vida de forma que tudo contribua para que eu atinja esse objetivo. Para falar a verdade, o momento mais difícil foi quando eu cheguei na Ásia, pois até então, tudo tinha acontecido exatamente de acordo com o que eu planejei.

Maiara XavierO que a decisão de fazer essa viagem te ensinou sobre o dinheiro?
Fê Neute – O meu maior aprendizado foi que dinheiro é um meio, não um fim. O dinheiro serve para nos proporcionar experiências que consequentemente nos farão pessoas mais felizes.

Maiara XavierPara passar um ano viajando, não tem como levar uma mala muito grande. Acredito que a vida passa a ser vivida com mais simplicidade. Como foi fazer as malas para viajar? Você teve que abrir mão de muita coisa?
Fê Neute – Assim como o planejamento financeiro, essa simplicidade também começou a acontecer naturalmente. Quando eu tomei a decisão e passei a avaliar o que eu precisaria cortar para fazer esse sonho virar realidade a primeira coisa foi parar de comprar roupas, sapatos e acessórios. Primeiro porque não fazia sentido comprar ainda mais roupas se eu ficaria fora por um tempo, mas também porque eu tive a real ideia da quantidade de dinheiro que eu estava gastando em coisas que eu mal usava. Fiz uma arrumação no meu armário, doei várias roupas que eu não usava e as que eram mais novas e mais caras eu coloquei à venda no Enjoei. Em menos de uma semana eu já tinha vendido a primeira peça. Isso me incentivou a colocar ainda mais roupas para vender. Depois, fiz uma lista das roupas que eu colocaria na mala, considerando que eu precisaria ter roupas para todas as estações do ano e ocasiões. Além disso eu amo moda e sinto um enorme prazer em me vestir bem, por isso, não queria deixar de ser quem eu sou só porque estaria viajando.

Antes de viajar, eu fiz um bazar que durou um fim de semana e me rendeu ainda mais dinheiro para o projeto! Hoje, além de não sentir falta de nada do que eu vendi, ao longo de 6 meses eu fui doando roupas por onde passei e me livrei de pelo menos 15% da mala até agora. Além disso, nunca fui tão criativa, pois quando temos pouco acabamos aproveitando o que temos de forma muito mais inteligente.

Maiara XavierQuais os teus planos para quando a viagem acabar?
Fê Neute – Atualmente meu plano é que a viagem não acabe (risos). Não só pela viagem em si, mas eu gostaria muito de poder continuar esse projeto, mesmo que eu não estivesse viajando. Meu plano inicial era voltar para o mercado publicitário (o que não está totalmente descartado), mas hoje o meu grande objetivo é poder trabalhar online.

Maiara XavierQuais conhecimentos você adquiriu ainda em casa, com seus pais, sobre finanças?
Fê Neute – Eu costumo brincar que alguns dos melhores exemplos que meus pais me deram foram os maus exemplos (risos). A minha mãe parou de trabalhar quando casou e era totalmente dependente do meu pai financeiramente. Isso me ensinou a ser extremamente independente no que diz respeito ao dinheiro. Meu pai nunca se preocupou muito com o futuro ou em poupar. Ele sempre teve o perfil que ganha para gastar, que também foi o meu por algum tempo. Eu 2008, infelizmente ele faleceu repentinamente aos 51 anos vítima de um AVC. Eu, que não acredito em coincidências, entendi que talvez o universo estivesse me preparando quando eu tomei a decisão de começar a organizar a minha vida financeira no início do mesmo ano. Isso fez com que eu ficasse ainda mais focada no meu plano.

Maiara XavierVocê é publicitária por formação, qual foi a parte mais difícil na hora de decidir largar um emprego numa agência, um cargo de diretora de contas e o salário garantido para realizar esse sonho?
Fê Neute – Sem dúvida a estabilidade, não só financeira mas também profissional. Eu trabalhava no mercado publicitário desde 2000 e estava em uma posição em que tinha uma equipe, já sabia o que precisava ser feito, já conhecia os meus clientes e me sentia totalmente confiante para tomar decisões. Os primeiros meses vivendo dessa forma incerta e vendo o dinheiro sair sem nada entrando foram deseperadores. Mas eu estava tão certa de que era isso que eu queria que não pensei duas vezes.

Fe-neute1Maiara XavierNo momento, viajando pelo mundo, quais são suas fontes de renda? Como você se mantém financeiramente?

Fê Neute – Eu fiz uma reserva e coloquei em um investimento que me garante apenas liquidez e também me protege da inflação e do câmbio, já que desde que eu me mudei o dólar não parou de subir. Mas esse dinheiro não gera nenhuma renda, já que não era tanto assim. Além disso, também tenho aproveitado todo o meu conhecimento em social media e internet para fazer alguns trabalhos como freelancer. Por causa do blog, também comecei a fazer alguns freelas como escritora o que para mim tem sido o máximo! É claro que isso ainda não me garante uma fonte de renda e sim alguns respiros, mas percebi que todo o conhecimento que eu acumulei nos últimos anos foram extremamente úteis nessa nova empreitada.

Maiara XavierVocê tem o hábito de guardar e investir seu dinheiro? Se sim, no que investe?

Fê Neute – Hoje sim, mas como eu disse anteriormente, foi algo que eu tive de forçar a mudança. Meu perfil era muito mais o de gastar do que poupar. Comecei com pouco e devagar, mas com o tempo adquiri o hábito. Hoje eu tenho uma previdência e um fundo de renda fixa bem conservador visto que eu não estou em uma posição confortável para ser mais arrojada. Espero que em alguns meses eu seja capaz de me sustentar apenas com o dinheiro que ganho com freelas e possa diversificar um pouco mais.

Maiara XavierComo você organiza suas finanças?

Fê Neute – Por incrível que pareça os meus gastos são bem menores e mais simples hoje em dia que eu estou viajando do que quando eu morava em São Paulo. Continuo usando a minha planilha e controlando tudo, mas hoje em dia é bem mais fácil. Esse também foi um dos grandes objetivos da viagem. Muito mais do que um sabático ou férias prolongadas, o meu objetivo primário era investir em algo novo, um possível negócio ou plano B e não conseguiria manter o meu padrão de vida sem trabalhar no Brasil. Vivendo em países onde o custo de vida é muito mais baixo, eu poderia além de investir nessa possível carreira, conhecer pessoas e lugares maravilhosos durante o percurso, o que torna tudo ainda mais rico.

Maiara XavierQual é seu próximo grande objetivo e como está se planejando financeiramente para isso?

Fê Neute – Meu principal objetivo é trabalhar online e me estabelecer como escritora. Para isso, vou me mudar para Medellin, na Colombia, e investir nisso pelos próximos 6 meses. Lá o custo de vida é um pouco mais alto que na Ásia, mas ainda muito mais baixo que no Brasil. Estou encarando isso como um investimento necessário nesse momento e estou feliz com a decisão.

Maiara XavierQue dica você tem para as leitoras do MR para se planejarem financeiramente e alcançarem seus objetivos?

Fê Neute – Eu acho que a primeira coisa é ter noção dos próprios gastos. Nem todo mundo é nerd como eu e quer colocar cada real gasto em uma planilha, e tudo bem. O importante é saber para onde o seu dinheiro está indo quando ele sai da sua conta. Esse é o primeiro passo para começar a organizar a vida.

X