Loading

Meu divórcio – A difícil decisão de mudar

Olá :), esse é um post para te inspirar!

Eu estava fazendo uma pesquisa na minha caixa de e-mail, em busca dos meus dados de acesso a uma corretora de valores quando encontrei um rascunho de e-mail (pois não chegou a ser enviado), mas pelo assunto “desespero” me chamou bastante atenção e eu resolvi relê-lo.

Era um e-mail que escrevi no dia 18/10/2010 (um dia depois de completar 24 anos) há 4 anos e 7 meses.

“Começo esse e-mail as 04:25 da manhã do dia 18/10/2010… Com lágrimas nos olhos, um aperto imenso no peito, uma dor infinita.”

Eu realmente não lembrava desse texto mas após lê-lo eu consegui lembrar exatamente como me sentia naquela época. Passei o dia pensando nele e foi impossível não fazer uma autoanalise da minha vida e tudo que aconteceu nesses últimos anos.

Até aquela época eu era apenas uma menina/mulher cheia de sonhos, desejos e ambições mas todos eles muito abafados pela minha falta de autoconfiança, eu até conseguia ser ousada de vez em quando, mas acabava me sentindo mal, como se tivesse desagradando alguém. Você já se sentiu assim?

“Não fiz certas coisas, não vivi determinados momentos… alguns por falta de dinheiro, outras por medo, insegurança…

Vi muitas vezes a vida passar por mim sem eu fazer nada, sem ter forças de mudar a minha historia.”

Foram muitos anos agindo dessa forma, um medo imenso de ser eu mesma, de acreditar nos meus sonhos e de que eu era realmente capaz e merecedora da felicidade. Parecia que ser feliz era algo errado e proibido.

“No momento estou com medo de deitar, pq tenho medo de acordar e encarar tudo de novo”

Eu estava casada (com meu melhor amigo) e nada ia bem entre nós, não houve culpados, apenas a vida nos ensinando da maneira dela (dolorosamente). Pelos trechos que te mostro aqui dá para ter ideia do quanto eu estava aprisionada numa vida que eu não me sentia bem mas que só dependia de mim mesma dar uma guinada em busca da minha felicidade.

“Mas hoje o que eu sinto é que nada da minha vida foi como eu pensei ou sonhei… isso e assustador… Por muitas vezes a vida me tirou coisas que eram realmente importantes pra mim, outras vezes por meus erros perdi coisas boas que eu tinha.”

Estávamos endividados, eu não estava realizada profissionalmente, não estava me cuidando nem cuidando da minha casa, não estávamos felizes como casal… estava absolutamente tudo errado.

“Não sou realizada profissionalmente, não temos uma vida financeira decente, não sou uma mulher realizada, não sou uma boa esposa, estou com minha auto estima lá embaixo, estou sem forças, estou desesperada…

Gostaria de poder me expressar melhor, pois esse e-mail é um tremendo desabafo, queria que fosse um grito de socorro, mas sei que estamos no mesmo barco…”

Pois bem, pouco menos de 10 meses depois de escrever esse e-mail nós nos separamos definitivamente.

Posso dizer que essa foi a mais difícil decisão que tomei, enfrentei a época mais desafiadora da minha vida, ao mesmo tempo, a mais gratificante, vou explicar direitinho.

Mount Jefferson Wilderness, Oregon, USA --- Woman looking out towards valley as sun sets --- Image by © Isaac Lane Koval/Corbis

Me separar foi bem complicado, naquela época eu frequentava igreja evangélica, meu pai é evangélico e o divórcio era algo que nada agradaria ele. Mas até aquele momento, eu tinha feito tudo sempre tentando agradar aos outros, inclusive meu pai. Eu não podia mais sustentar aquilo, pois como você pode ver nos trechos do email que compartilho aqui, eu não estava nada bem, se eu não resolvesse cuidar de mim e me colocar em primeiro lugar, não sei onde isso ia parar…

Foi bem complicado, após a separação fiquei 9 meses morando na casa do meu pai e sua família, tempo necessário para que eu conseguisse liquidar todas as dívidas herdadas do casamento e também foi o tempo que meu pai conseguiu me suportar em sua casa. Após esses meses ele pediu que eu me retirasse pois ele precisava de privacidade com sua família.

Foram 9 meses eu que me senti uma visita, minha irmãzinha era recém-nascida e eu sentia que tudo que eu fazia incomodava.

Sai de lá e fui morar num quartinho de 7m² com banheiro. Foram 3 infinitos meses nesse quarto, passei muito tempo sozinha, deprimida… passei muitoo tempo comigo mesma… e não tenho como descrever o quanto esse tempo foi importante para o meu amadurecimento. Definitivamente eu estava sendo obrigada a crescer.

Portrait of woman in park --- Image by © Silke Woweries/Corbis

A gente cresce assim neh?! Muito mais na dor!

Pra resumir um pouco a história, acredito que contando com a época que eu já não estava feliz no casamento e até a minha vida se encaixar novamente após a separação, foram uns 3 anos de conflitos, tristezas, desesperos como o próprio assunto do tal e-mail dizia.

Se essa história acabasse aqui, você concordaria de que não valeu a pena encarar tudo isso não é mesmo?

“Bom… vou terminar esse e-mail aqui… sem perspectivas, por enquanto, sem final feliz!

Vou deitar um pouquinho, agora são 05:31 da manhã!”

Pois bem, tenho que te dizer, que escrevo esse post hoje, 2 anos após minha vida entrar nos eixos, 4 anos e 7 meses após o trágico e-mail não enviado de desabafo, que a melhor e mais difícil decisão que já tomei foi ter me divorciado.

Meu casamento não foi um erro, muito ao contrário, ele foi a coisa mais certa que fiz, não teria como ter feito diferente, eu não era capaz de agir de outra forma naquela época.

Meu ex marido não foi uma má pessoa, pelo contrário, ele foi meu grande amigo e muito importante numa fase crucial da minha vida… isso tudo aconteceu para nos fazer mais fortes, para que amadurecêssemos.

Eu não estaria vivendo a vida que estou vivendo hoje, mais feliz do que nunca, certa do que quero, cheia de planos, sonhos e objetivos se eu não tivesse tomado essa decisão difícil, cheia de desafios e consequências.

A vida as vezes cobra caro por nossas decisões mas ficar em cima do muro é 3 vezes mais caro. Você se perde de você mesma, afasta-se dos seus propósitos, do que te faz feliz.

Se eu faria tudo de novo? Sim. Arrepia só de pensar em tudo que passei, não foi fácil, nada fácil… mas sim, eu faria tudo de novo. Pois hoje sou quem eu quero ser e trabalho para ser quem eu quero ser amanhã, com clareza e confiança, isso não tem preço!

Não tenha medo de ser você mesma, de correr atrás do que é importante para você. Não aceite viver situações que não te fazem bem por medo, para agradar os outros… nada disso vale a pena se você não estiver em paz com suas decisões!

Tenhas um lindo dia, nos encontramos em breve.
Beijinhos

X