Loading

O frio na barriga de investir na Bolsa sozinha

Olá riquezas, hoje o post é de uma parceira queridíssima aqui do Mulher Rica, a Vérios, e está imperdível!
Aproveite
Beijinhos


O frio na barriga de investir na Bolsa sozinha

Você lembra a primeira vez que apresentou um trabalho importante na faculdade? Ou a primeira vez em que dirigiu um carro sozinha?

Toda vez que temos uma experiência totalmente nova, e ainda mais se for algo que ainda não dominamos completamente, ficamos inseguras, ansiosas… Dá frio na barriga só de pensar. Acabamos adiando as coisas, procrastinando, até um momento em que não tem jeito, temos que tomar uma atitude. Para muitas mulheres ricas, isso acontece quando o assunto é investir na bolsa de valores.

Se você já acumulou uma boa quantia em investimentos e seus planos são de longo prazo, faz todo o sentido diversificar suas aplicações entre renda fixa e renda variável, e as ações negociadas na Bolsa são um veículo importante para isso. Mas não é fácil encarar sozinha essa tarefa.

É preciso ter conhecimento para investir na Bolsa?

Sim. E não. Tudo depende da forma como você vai investir.

Se você decidir selecionar por conta própria algumas dentre as centenas de empresas listadas na BM&FBovespa, sim, precisará estudar bastante sobre elas. Entender o comportamento da ação, a volatilidade, fazer análises fundamentalistas sobre o potencial da empresa para gerar valor… Existem profissionais do mercado financeiro que estudam profundamente a análise de empresas e, ainda assim, não há a menor garantia de que eles saibam exatamente quando e quanto uma ação vai valorizar ou desvalorizar.

Nessas horas, você precisa fazer análises frias. Esqueça os boatos e dicas de mesa de bar. Sabe aquela coisa de “falaram que é um bom momento para comprar ações da Petrobras”? Tome muito cuidado com isso. Geralmente, quando o assunto está na boca do povo é porque um movimento de valorização expressivo já aconteceu, e não necessariamente você irá surfar nele. Ao contrário, pode ser que você (e todo mundo) comece a investir em uma empresa e então as ações comecem a cair… Pois é!

Antes de você decidir seguir esse caminho, cabe uma reflexão: você tem tempo para dedicar a estudos densos sobre as empresas listadas na Bolsa? Mais importante ainda: você gostaria de fazer isso?

Se você respondeu “não” para as duas perguntas, tudo bem. Isso não significa que você não pode aplicar na Bolsa, mas sim que não faz sentido ficar escolhendo ações para investir.

A sua ideia ao investir uma parte do seu patrimônio na Bolsa não deve ser especular, mas sim diversificar.

Aí entra a boa notícia: existe uma forma de obter exposição ao movimento da bolsa de valores como um todo, sem ter que ficar selecionando ações específicas. Isso é possível por meio do investimento em fundos de ações ou em ETFs, que são fundos de índice negociados em bolsa.

Os ETFs estão crescendo no Brasil. Sabe os índices que representam a Bolsa brasileira? Por exemplo, o Ibovespa (com as maiores empresas)? O que os ETFs fazem é replicar esse índice. Eles compram as ações de todas as empresas e transformam em um “pacote”, que é onde você investe. A vantagem dos ETFs é que os custos de investir são muito reduzidos em comparação com os tradicionais fundos de investimento. Isso significa, claro, mais rentabilidade no seu bolso.

E você sabia que hoje em dia é possível investir com facilidade não apenas na Bolsa brasileira, mas também nas Bolsas dos Estados Unidos? Sim, isso é possível graças aos ETFs, que montam um “pacote” com as principais ações lá de fora. Isso significa que você pode investir indiretamente em empresas como Google, Microsoft, Coca-Cola etc. Incrível, não?

Bom, então fica a dica: se você já acumulou uma boa graninha e quer investi-la de forma diversificada, considere ter alguma parcela exposta no mercado de ações, e experimente fazer isso por meio dos ETFs, que são muito mais práticos e seguros do que ficar escolhendo empresas sem ter muito critério. Comece a estudar essa possibilidade e lembre sempre de respeitar a sua disposição para tomar riscos. Isso vai ajudar você a ter uma ideia de quanto aplicar em ações.

Hoje em dia existem empresas, como a Vérios, que ajudam a definir uma carteira diversificada e fazem todo o trabalho de administração dos seus investimentos. No caso deles, o seu patrimônio é distribuído entre títulos públicos do Tesouro Direto e uma parcela menor vai para os ETFs.

Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe seu comentário! Se o texto foi útil, que tal compartilhar com suas amigas? Em grupo, o friozinho na barriga para começar a investir na Bolsa pode ser menor!

X