Loading

Em um relacionamento nada agradável com o meu salário

Estou acorrentada ao meu salário

Olá meninas, em setembro do ano passado escrevi um texto desabafando um momento que estava vivendo. Resolvi guardar e publicá-lo quando eu tivesse resolvido esse problema. Como vocês já sabem, já não sou mais uma empregada na área de tecnologia. Por isso venho hoje, compartilhar com vocês o desespero que passei há +- 5 meses.

 ————————————————– \\  ————————————————–

Como vocês que acompanham o blog sabem, tenho um emprego na área de tecnologia e um salário bacaninha garantido todo mês! Há uns anos eu larguei tudo nessa área e fui me aventurar com uma loja virtual de artesanato, mais especificamente fazendo peças de biscuit. Sinto que tenho sangue empreendedor correndo nas minhas veias, já fiz vááárias outras coisinhas por aí, arriscando no meio do empreendedorismo, adoro esse mundo!

Porém, recentemente me dei conta de que me encontro em um momento de extremo e assustador comodismo. O meu salário me prendeu, me amarrou e me estagnou… estou vivendo uma verdadeira relação (avassaladora) com ele, uma relação nada saudável, onde há possessividade, dependência, insegurança e a vítima sou eu!

Presa ao salário

Nessa semana senti que ficou mais crítico nosso relacionamento, ele puxou a poltrona confortável da sala, me olhou com ar de arrogância e sem dó me mostrou que realmente está no comando. Se eu não sabia disso?! Claro que sim, mas quem disse que é fácil lidar com uma relação assim?! Achei mais “confortável” fingir e seguir em frente (rumo a infelicidade).

Não satisfeito, ele abriu uma das mãos e mostrou meu coração em uma gaiola, preso e sofrendo… abriu uma fresta de um baú, antes lacrado com cadeado, por onde consegui enxergar meus sonhos… todos presos e amordaçados! Vi-me sem liberdade e sem sonhos, tudo por essa relação de amor e ódio!

Humilhada pelo meu salário, troquei minha felicidade por dois dias no mês, em que temos uma intensa relação de amor, depois ele se vai, fugaz, não olha pra trás e me abandona durante os outros 28/29 dias… encarando que o tempo está passando e com ele minha essência se vai…

Presa ao salário

Bom  meninas, depois do meu desabado, quero explicar-lhes que isso é algo muito pessoal, de forma alguma quero dizer que ter um salário e um emprego é ruim, mas para minha essência posso dizer, um tanto quanto aventureira, que ama a liberdade, o novo, as mudanças, o relacionamento com as pessoas, o intenso etc. está sendo uma relação difícil, praticamente vendendo minha alma (kkkk quase nada dramática)… não sirvo para viver uma rotina de trabalho em frente a um computador, 8h diárias dia após dia. E fiquei revoltada quando me dei conta de que estou trocando meu EU pelo dinheiro que paga minhas contas.

Preciso dele?! Sim, claro! Mas não posso viver por ele, quando fazemos algo que verdadeiramente somos apaixonados e fazemos com amor e dedicação, a recompensa financeira aparece e a gratificação é imensa. É disso que estou falando, de uma relação saudável com nosso querido amigo DINHEIRO!

Estou em busca, estou atrás! Aguardem cenas do próximo capítulo dessa intensa relação que estou vivendo!

Estou progredindo!

Beijinhos queridas

X